Uma proposta para o ocupa sampa: rotatividade dos locais de ocupação

Dada as sugestões feitas recentemente no ocupa sampa, devido a possibilidade de ação policial, me ocorreu uma idéia que talvez fosse bastante interessante para a articulação do movimento e mesmo para amenizar esse tipo de problema e confronto.
O acampa sampa se mudou do Anhangabaú para a Paulista. Nisso, mostrou, assim como outras ocupações, que esse movimento não é dependente de nenhum lugar fixo. Talvez essa independência devesse ser explorada mais sistematicamente, e por isso, gostaria de propor que as mudanças de local não fossem meramente circunstanciais, dependendo de um ou outro fator momentâneo, mas que fossem incorporadas ao próprio movimento: gostaria de propor, em outras palavras, que houvesse uma rotatividade permanente dos locais ocupados pelo ocupa sampa.

As vantagens que enxergo nisso, são diversas. A mais condizente com as necessidades atuais do movimento é que isso ajudaria em larga medida a evitar confrontos com a polícia. Pois muitos desses confrontos surgem (ao menos como compreendo) do fato de, depois de algum tempo de ocupação, surgir algum pretexto para se remover os ocupantes: sujeira, algo como ‘reintegração de posse’, enfim, coisas do gênero. E, às vezes, surgem motivos mesmo justificáveis, como, por exemplo o direito de outras pessoas de também usufruir do local, o que nem sempre é completamente viável conforme a ocupação se expande e se estende. Uma rotatividade dos locais de ocupação evitaria, creio, em larga medida, esses problemas: não haveria tempo o bastante para que se pudesse formular ou ‘inventar’ alguma reclamação sobre a ocupação que justificasse desfazê-la. E, ter uma rotatividade planejada já garantiria que, mesmo quando fosse necessário ou conveniente fazê-lo mais rápido do que se imaginava, já se houvesse um preparamento para descoupar e ocupar outro local.

Outra das vantagens que enxergo nisso é que tal rotatividade contribuiria imensamente para expandir e divulgar o movimento, dar a ele mais visibilidade. Os ocupantes dizem que esse é um movimento para todos, que todos podem participar – então,  seria uma forma de agir conforme o que é dito – levando o acampamento até as pessoas, tornando-o acessível às pessoas em diversos pontos da cidade. Seria uma maneira, de, grosso modo, de diversificar ainda mais o movimento, e de construir nele uma mobilidade que é mesmo crucial para a sua sustentação.

Assim, o que proponho é que se monte algo como um plano de praças ou locais de ocupação pelos quais o movimento deve passar/ocupar dentro de um determinado período de tempo. Esse período deve ser estabelecido conforme a conveniência e possibilidade dos ocupantes de realizar essas mudanças dentro dele, evidentemente, assim como as praças devem ser escolhidas de movo a facilitar esse ciclo e a passagem de um local para o próximo.

Seja como for, julgo que essa seria uma proposta que valeria a pena discutir, e por isso a coloco aqui para que quem se interessar possa considerá-la.

Anúncios

5 pensamentos sobre “Uma proposta para o ocupa sampa: rotatividade dos locais de ocupação

  1. Raquel disse:

    Exato. Nossa executiva nacional também sugeriu isso. Acho a melhor solução, pra obter o melhor resultado político possível. Um mundo melhor …

  2. Thiago disse:

    Lucas, participe das Assembléias, que você vai ver que a rotatividade sempre foi discutida. Ela chegou a ser consensuada na Assembléia do dia 16/10!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s